Design minimalista: uma técnica do século 20 penetrada na atualidade

By

Atualmente, boa parte das campanhas de marketing estão pautadas no minimalismo. A técnica traz elegância e modernidade, e sua principal característica é priorizar a simplicidade, colocando em sua arte somente os elementos necessários. Para o minimalismo, nada deve ir além do necessário. 

Origem do design minimalista – movimentos e precursores 

Influenciado por um movimento artístico chamado De Stijl, o minimalismo encantou muitas pessoas entre os anos de 1917 a 1930. O termo desse movimento significa “O estilo” e incluía pintores, arquitetos, escultores e designers. A base era a simplicidade e abstração, tornando projetos que antes tinham muitas informações em algo essencial. 

“Menos é mais”, todo mundo já escutou essa frase na vida, e um dos precursores dela não poderia ser ninguém menos que um minimalista chamado Ludwig Mies van der Rohe. Ele era um arquiteto alemão considerado um dos pioneiros da arquitetura moderna. Seu minimalismo está impregnado em prédios dos Estados Unidos, como o Crown Hall.

Projetado pelo arquiteto modernista Ludwig Mies van der Rohe – Chicago

Outra vertente que influenciou e influencia em muito a arte minimalista é a cultura tradicional japonesa. A cultura é baseada na simplicidade, e naturalmente os designers minimalistas sempre terão como inspiração a base da tradição japonesa. 

Como começar uma arte minimalista?

Da mesma forma que a arte em si é prática, a forma de abordagem para adaptar-se a ela também é simples. A seguir, colocamos algumas dicas desse mundo minimalista:

Omitir informações desnecessárias: não insira elementos desnecessários. Ao criar algo, pense antes o que é prioridade na arte. 

Cor: as formas geométricas são muito importantes, mas se as cores não interagirem entre si e criar sensações, seu uso é em vão. Utilize das formas geométricas, mas não se esqueça das cores, pois elas contam muito.

Espaços em branco: não preencha todos os espaços. Talvez você pense que é desperdício, mas acredite, isso vai ajudar e muito na sua arte minimalista. 

Tipografia: essa é a parte mais importante de toda arte que não seja somente ilustrada. A fonte simples e com alto nível de legibilidade, como as fontes sem serifas, é uma ótima opção. 

Artes minimalistas para se inspirar:

Se inspire em arquitetos, movimentos e culturas, mas não se esqueça de ser original na criação. Crie a sua arte e lembre-se: “menos é mais”. Existem coisas que não são necessárias para criar um bom design. 

 

Leave a Comment

Your email address will not be published.

16 − sete =

You may also like